Como estimular o consumo consciente na infância

Em um mundo que nos convida o tempo todo a consumir, como fazer com que os pequenos adquiram bons hábitos em relação a isso? No artigo de hoje trazemos algumas dicas. 

Sociedade de Consumo  

“Numa sociedade de consumidores, todo mundo precisa ser, deve ser e tem que ser um consumidor por vocação (ou seja, ver e tratar o consumo como vocação). Nessa sociedade, o consumo visto e tratado como vocação é ao mesmo tempo um direito e um dever humano universal que não conhece exceção.”

Zygmunt Bauman em:  Vida para consumo: A transformação das pessoas em mercadoria.

Mehrad Vosoughi/Pexels

Em sua obra Bauman nos aponta o quanto nossa sociedade é baseada na cultura do consumo exacerbado. E, justamente, por ser uma característica já tão enraizada, fugir dessa lógica, por vezes, não é uma das tarefas mais simples. 

No entanto, se observamos o impacto dessa dinâmica no meio ambiente, veremos que a mudança dessa postura é urgente.

Pensemos rapidamente na cadeia produtiva de um item qualquer: em um primeiro momento há necessidade de se explorar recursos naturais para se obter matéria prima, posteriormente, na sua fabricação, muitas das vezes há a dependência de um consumo elevado de água, bem como nesse processo pode-se também emitir gases poluentes que podem contaminar a atmosfera. 

E, por fim, depois que o item é consumido ele é descartado, gerando, assim, o lixo.

Ou seja, um longo percurso que pode impactar de diversas maneiras o planeta.

Pixabay

O futuro depende de escolhas mais sustentáveis

No passado pouco havia esse tipo de preocupação, contudo, hoje, como já é bem sabido, esse estilo de vida de consumo desenfreado vem gerando consequências bem graves ao mundo, entre elas, as mudanças climáticas.

E quem deve sofrer ainda mais com as consequências disso são as futuras gerações, as crianças. Por isso, é muito importante refletirmos acerca de nossa conduta nesse quesito e, principalmente, tornarmos exemplos para os mais novos. 

O consumo, ele é inevitável, mas nossas escolhas podem ser mais sustentáveis e podemos e devemos ensinar isso aos pequenos.  

Pensando nisso, separamos algumas dicas em relação ao consumo consciente que podemos aplicar e contar com a ajuda das crianças.

Consumo Consciente na Infância

Gustavo Fring/Pexels

Água: Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o consumo de água por pessoa no Brasil em um único dia pode chegar a 200 litros, o que é quase o dobro da quantidade indicada pela ONU, que aponta o gasto de 110 litros como suficiente para atender as necessidades básicas de um indivíduo.

Desse modo, algumas práticas podem ser introduzidas na rotina familiar, junto com as crianças, são elas: 

-Fechar a torneira ao escovar os dentes: Ainda segundo a Sabesp se um pessoa deixa a torneira ligada por 5 minutos enquanto escova os dente, o gasto com água gira em torno de 12 litros. 

Agora se a prática de ligar a torneira apenas para molhar a escova e o enxague da boca for realizado a partir da água colocada em um copo, o gasto será de apenas ½  litro d´água. Portanto, uma economia de 11,5  litros. 

-Reduzir o tempo do banho/ Fechar o registro: A mudança de hábito no chuveiro também pode trazer uma boa economia no consumo de água. Em um banho de 15 minutos e com o registro meio aberto gasta-se de água 45 litros. 

Por outro lado, se for aberto somente no momento do enxágue e se o tempo do banho for reduzido para 5 minutos, por exemplo, o gasto de água passa a ser de 15 litros, como também aponta a Sabesp. 

Energia elétrica: É difícil fugir do encantamento com os eletrônicos no universo infantil, o videogame e a televisão com desenhos animados, por exemplo, costumam ser bons companheiros das crianças. Contudo, o uso deve ser feito de uma forma saudável e outras atividades também devem fazer parte da rotina delas. 

Sendo assim, uma boa dica nesse sentido, que fará bem para o desenvolvimento da criança como também ajudará na economia de energia elétrica é a brincadeira ao ar livre e a aproximação com a natureza.

Assim, uma opção pode ser desbravar os parques da cidade, ou então resgatar brincadeiras antigas que possam ser realizadas em espaços externos. 

Brinquedos: Repense o consumo e compra deles.

Busque separar com os pequenos aqueles não mais usados para ser destinado a doação.

Procure por iniciativas como a Feira de Trocas de Brinquedos, que promovem  encontros para realização desse tipo de prática. Desse modo, é possível ter brinquedos novos sem a necessidade de realização de novas compras. 

Roupas: As crianças, por estarem em um constante desenvolvimento, tende a perder muitas roupas, assim como os brinquedos, a doação do que não é mais usado é sempre uma boa opção.

Além do mais, hoje existem algumas opções de brechós infantis. Essa escolha pode ser muito benéfica ao meio ambiente, uma vez que a cadeia produtiva de uma roupa necessita de muitos recursos.  

Lanches: Uma boa dica que não só contribuirá com meio ambiente como também pode ser vantajoso para saúde, é a redução do consumo dos industrializados.

Esse tipo de alimento possui muitas vezes um excesso de embalagens e nem sempre essas embalagens têm uma destinação correta. Além disso, sua composição nutricional pode não ser das mais ideais.

Dessa maneira, no lanche das crianças opte por alimentos naturais, como as frutas e por receitas que possam ser feitas em casa.

Lixo:  Outro hábito que as crianças podem ser incluídas na dinâmica da casa e na separação dos materiais recicláveis

Reserve um lugar em que os materiais como papel, plástico, vidro e metal possam ser armazenados e separados.

Além disso, os materiais recicláveis podem ser usado para criação de brinquedos jogos, aí é só usar a imaginação.

Recentemente, em nosso Instagram, demos algumas dicas de como reaproveitar embalagens para criação de brinquedos. Vale a pena dar uma conferida!

Nós aqui da Silicup levamos a sério a questão do consumo consciente, por isso, nossos produtos foram pensados para terem o menor impacto ambiental possível. Eles são reutilizáveis, portanto, podem substituir os descartáveis e assim você pode eliminá-los do seu dia-a-dia. Conheça!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*