Entenda por que levar um estilo de vida sustentável é mais barato

Por vezes, quando tratamos do assunto sustentabilidade, há sempre quem aponta esse estilo de vida como um estilo de vida mais caro. Entretanto, no post de hoje vamos mostrar que, ao contrário disso, realizar alguns hábitos sustentáveis que priorizam o meio ambiente, pode ser também uma excelente forma de controlar despesas. 

Para isso, listamos 8 práticas ecológicas que são mais baratas ou ajudam a reduzir gastos. Veja só: 

Pexels-Artem Beliaikin

1. Compre em brechó

Como bem aponta a BBC, a indústria têxtil é a segunda maior indústria que causa poluição no mundo perdendo apenas para a produção do petróleo. 

Para se ter uma ideia, muitas das peças fabricadas tem como matéria prima a fibra sintética. Números indicam que por ano são usados 70 milhões de barris de petróleo para esse tipo de produção. Além disso, esse tipo de material demora em média 200 anos para se decompor da natureza. 

Desse modo, o que não faltam são argumentos para refletirmos a forma que temos consumido roupas. 

Sendo assim, uma alternativa interessante para ir na contramão do movimento da indústria têxtil e, em alguma medida, diminuir o impacto ambiental é compra e venda em brechós.

Ao comprar ou repassar uma peça de roupa, contribui-se muito para o meio ambiente, uma vez que dessa maneira, ao adquirir peças usadas há uma menor necessidade de compra de peças novas. Para mais, esse processo aumenta ainda a vida útil das roupas antigas. 

Hoje, com o advento das lojas on-line, há uma variedade de brechós que também vendem pela internet e não dependemos somente das lojas físicas. 

Ademais, existem plataformas especializadas em realizar justamente a venda e compra de peças de vestuários usadas como a Enjoei.

Com isso, além de fazer uma escolha mais sustentável, faz-se também uma escolha mais barata, pois há de se ressaltar que as peças usadas saem muito mais em conta se comparadas as peças novas, portanto, temos aí uma oportunidade também de economizar, e por outro lado, com a venda de peças nessa dinâmica, pode-se também gerar uma renda extra.

Comparativo Tênis de segunda mão e novo de loja

2.Vá de Bike

Já é fato que, no campo da mobilidade urbana, a bicicleta vem ganhando cada vez mais adeptos. Não por acaso, uma pesquisa da Kantar apontou uma projeção para a próxima década: haverá redução de 28% do uso do carro em São Paulo. Tudo isso porque a preferência da população será por meios de transportes ecológicos, entre eles se destaca, justamente, a bicicleta. 

Tendo isso em vista, traremos aqui boas razões para você pensar na bike como um meio de transporte.

Entre os impactos positivos da bicicleta destaca-se o eixo do meio ambiente e o da economia, como bem aponta o estudo realizado pelo Cebrap ( Centro Brasileiro de Análise e Planejamento).

  • Impacto do uso da bicicleta no meio ambiente: a pesquisa teve como base dois indicadores, o individual e o social. No aspecto individual constatou- se que há “uma vivência mais qualificada ao ar livre”, visto que os ciclistas cultivam o hábito de frequentar mais os parques da cidade e, assim, de maneira geral, têm mais contato com a natureza. 

Já no aspecto social, a grande vantagem que aparece na troca do carro pela bicicleta, por exemplo, que é também o grande mote quando tratamos dessa questão é a diminuição considerável de emissão de CO2.  

  • Impacto da bicicleta na economia: como já destacamos por aqui, a inclusão de hábitos mais sustentáveis também são mais baratos, confira só, quando se trata da bicicleta: o estudo do Cebrap mostrou que ao trocar o transporte público pelo deslocamento com a bike, pode-se economizar ao fim do mês o valor R$ 138,00 já quando se troca o automóvel, a economia, em média seria de 451 reais.

Obs: Os dados têm como base os valores vigentes no período em a pesquisa foi realizada em São Paulo. 

3. Compre alimentos da estação e os aproveite na sua totalidade

Atentar-se a sazonalidade de produtos como frutas, legumes e verduras é uma forma de prezar pela sustentabilidade bem como economizar, visto que os alimentos que são cultivados em seu período ideal encontram boas condições para se desenvolverem, necessitando, desse modo, de menos agentes químicos e dessa forma beneficiando o meio ambiente e a nossa saúde. Ao passo que a sua oferta passa a ser maior também e, assim, seu preço tende a ser menor. Recentemente, em um post aqui do blog listamos os alimentos referenes à primavera, confira

Em relação ainda aos alimentos podemos lidar com eles de forma mais sustentável e econômica adquirindo novos hábitos quanto ao seu aproveitamento, já que  é possível consumir partes que normalmente jogamos fora como cascas, sementes e talos.

Dessa maneira, o dinheiro é mais valorizado à medida em que você consome o total do produto pelo qual você pagou e produz-se menos lixo diminuindo a sobrecarga de aterros. 

Veja aqui algumas receitas que valorizam o aproveitamento total dos produtos. 

4.Conheça e introduza as PANCs na sua alimentação

O termo PANC, refere-se às plantas alimentícias não convencionais, conceito cunhado pelo biólogo Valdely Ferreira Kinupp em 2008.

A grosso modo, as PANCs são plantas que podem ser consumidas, mas geralmente não são por falta de hábito ou de informação.

As PANCS são ricas em nutrientes, além disso, a partir delas, valoriza-se as plantas locais. Muitas, inclusive, podem estar em nossas casas e nem notamos. Por isso, é tão importante que as informações sobre este assunto circule.

Alguns exemplos de Pancs:

Ora- pro-nobis: fonte de proteína, fibras e vitaminas.

Hibisco: Fonte de ferro e cicatrizante. 

Taioba: fortalece o sistema imunológico e melhora a visão. 

Clique aqui para conhecer outras oriundas da sua região. 

Saiba que assim como ter uma horta caseira é possível também plantar PANCs em casa.  É sempre bom lembrar que possuir alimentos em casa é uma forma de economizar. 

Pexels -Talha R

5.Tenha uma composteira 

Aqui no blog sempre lembramos o quanto a compostagem é uma aliada do meio ambiente, já no post de hoje ressaltamos que para além do seu benefício ambiental, com a composteira ainda é possível, de alguma forma, conter gastos

Um de seus objetivos é a diminuição de resíduos, logo necessita-se menos de compra com sacos de lixo, por exemplo, além do fato de que não há necessidade de compra e adubos e fertilizantes para as plantas e hortas caseiras, uma vez que o processo de compostagem produz esses materiais. 

6.Faça seus próprios produtos de limpeza ou compre de forma econômica e sustentável

Hoje, no mercado, já encontramos alguns produtos de limpeza que realizam uma fabricação mais voltada à sustentabilidade, por exemplo o detergente SiliClean. Um produto Silicup feito a base de Lauril de Milho, biodegradável e econômico. Você pode adquirir no formato galão de 5 litros ou a garrafinha de vidro de 275 ml para reabastecer quando o produto acabar. O Siliclean é específico para utensílios feito de silicone, mas pode ser utilizado nos demais também. Além de ser biodegradável, é econômico por ser concentrado. A cada 275ml da garrafa de vidro, faz 17,5 litros de detergente.

Além disso, outra alternativa simples, ecológica e barata é a produção caseira. Assim, é possível sim fazer uma série de produtos com base em itens que já têm em nossas casas como, por exemplo: vinagre, álcool, amido de milho, limão e bicarbonato de sódio. 

Em vídeo do canal Pensando ao Contrário, a bióloga Camila Victoriano ensina como fazer 5 misturas eficientes para limpeza como os produtos listados acima. Com eles é possível fazer desinfetante, multiuso, limpador de vidro, tira mancha e desengordurante.  

Vale a pena conferir e notar como é fácil e barato ser sustentável quando o quesito é limpeza.

Pexels-Cottonbro

7.Reaproveite embalagens

A partir de uma compra de supermercado além dos produtos vem com eles também uma série de embalagens, que em sua maior parte acabam indo parar no lixo. No entanto, há várias dessas embalagens que podem ser reaproveitadas e de vários modos, diminuindo assim, o impacto do lixo no meio ambiente.

Potes de vidro de azeitona ou palmito podem ser utilizados para armazenar alimentos. Já garrafas de suco de vidro podem ser utilizadas para armazenar os produtos de limpeza caseiro que citamos a pouco.

treadingmyownpath/

Caixas e embalagens de papelão podem tornar-se jogos e brinquedos.

Já com a garrafa pet a inúmeras possibilidades de se criar peças de artesanato. Basta usar a criatividade! 

E se caso a embalagem não puder ser aproveitada, lembre-se sempre de destinar corretamente para coleta seletiva.

8.Prefira os produtos reutilizáveis 

Mas caso ainda prefira adquirir um produto, escolha aqueles que são reutilizáveis e que podem substituir os itens de plástico descartável.

Aqui lembrarmos que a  Silicup possui uma série de produtos reutilizáveis que justamente substituem os descartáveis no dia a dia. São copos, garrafas e canudos com garantia de 2 anos, livres de BPA e podem ir tanto no forno e microondas como no freezer. Ou seja, muito mais que recipiente para armazenar líquido, os copos e garrafas da Silicup tem diversas outras utilidades, com eles é possível fazer um smoothie, por exemplo e também armazenar outros tipos de alimentos

Por fim, é sempre bom ressaltar que a reutilização também é uma forma de economizar a medida em que não há a necessidade da realização de novas compras. 

Comparando os valores

Com base nos tópicos de nosso artigo, vamos comparar então o estilo de vida comum com o estilo de vida sustentável:

Observação: pesquisa foi realizada no mês de novembro de 2020. 

Gostou do post? Então espalhe as ideias da sustentabilidade por aí, compartilhe nas redes sociais! 

2 Comentários

  1. É muito importante, e é fantástico o estilo de vida mais sustentável que pudermos levar. Mais ainda, é um Grande desafio plantar essa conscientização. População apressada e consumista costuma transferir tal responsabilidade achando talvez, que não fazem parte do planeta, e que nao devem ajudar o mesmo. Mais aprender é necessário! E podemos começar por aqui mesmo, adotando todas essas informações, e colocando as em prática urgentemente. Parabéns!!!

  2. Parabenizo à Equipe Silicup, em particular ao Rafael, primeira pessoa com quem tive contato e quem me apresentou essa forma de empreendedorismo focado na sustentabilidade.
    A Família Banco do Brasil, da qual faço parte desde 2004, apoia empresas como a Silicup e tem trabalhado muito para o engajamento de seus clientes internos e externos na adoção de hábitos sustentáveis. Contem comigo e com o Banco do Brasil para o fortalecimento e expansão da Silicup.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*